segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

"Smallville" - 9x04: 'Echo'


Nos episódios anteriores, vemos que Clark (Tom Welling) começou seu treinamento pra se tornar o salvador da humanidade. Também vimos que Oliver (Justin Hartley) está se culpando pela morte de Jimmy (Aaron Ashmore) no fim da 8ª temporada, se desligando de sua empresa e da roupa de Arqueiro Verde.

Em “Echo”, o Mestre dos Brinquedos (Chris Gauthier) está à procura de vingança contra Oliver, que tinha armado um plano para que todos acreditem que ele foi o culpado pela morte de Lex Luthor (Michael Rosembaum) na temporada anterior. Enquanto isso, Clark desenvolve a habilidade de ouvir os pensamentos dos outros (!?), sendo esta habilidade apenas uma fase de seu treinamento, para mostrar a ele que os humanos são cheios de segundas intenções. Lois (Erica Durance) continua a dar sinais de sua paixão por Clark. Já Tess (Cassidy Freeman) tenta convencer Oliver a voltar para sua empresa, assumindo suas responsabilidades como dono das Industrias Queen.

O foco do episódio foi todo para a história de Oliver, que estava desinteressante e mal explorada nos outros episódios, e mostrá-lo em “Echo” foi bom, pois dá uma importância para uma história boa que estava mal desenvolvida.

Já a história de Clark foi apenas o alivio cômico do episódio. Alivio cômico apenas em sua intenção, pois nem isso conseguiu.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

"The Vampire Diaries" - 1x05: 'You're Undead To Me'


No episódio anterior (1x04 – “Family Ties”), Stefan (Paul Wesley) envenena Damon (Ian Somerhalder) com verbena e o tranca no porão da mansão Salvatore.
Em “You’re Undead to Me”, Logan (Chris J. Johnson) continua a procurar pelo relógio dos Gilbert – já que os poderosos de Mistic Falls descobriram que os vampiros estão de volta à cidade, ainda não é falado o porquê da procura pelo relógio – para isso, Logan se aproxima mais ainda de Jenna (Sarah Canning) a fim de consegui-lo. Enquanto isso, Jeremy (Steven R. McQueen) e Vicki (Kayla Ewell) estão juntos novamente, mas o vicio de Vicki começa a incomodar Jeremy. Com o “sumiço” de Damon, Caroline (Candice Accola) tem que superar a decepção que teve com ele, por incrível que pareça, ela supera mais rápido do que pensavam (provavelmente para acabar logo com uma trama paralela desinteressante).
Os alunos da Mystic Falls organizam uma lavagem de carros sexy para arrecadação de fundos, mostrando Caroline, Bonnie e Elena (Nin Dobrev) em trajes mínimos. Desnecessário? Com certeza. Ruim? Claro que não!
A lavagem de carros serviu para mostrar um pouco mais da evolução dos poderes de Bonnie. Falando em mostrar, Matt (Zach Roerig) tem uma cena que expõe sua opinião com relação ao relacionamento entre Elena e Stefan, o que é importante já que ele sempre foi apaixonado por Elena. Pegando gancho no assunto, Elena está desde o episódio anterior com sede de saber sobre o passado de Stefan, mas acaba descobrindo de um passado bem mais distante: uma gravação do jornal local que mostra o ataque de um animal a Joseph Salvatore, tio de Stefan, que aparece na filmagem com sua aparência atual. A data da filmagem: 1953.
E eis que em “You’re Undead To Me”, a tensão e o suspense voltam a tomar conta do episódio, com Bonnie a um passo de descobrir realmente o que é. Elena a um passo de descobrir o que é Stefan. Stefan prestes a cravar uma estaca no peito de Damon e dois personagens prestes a serem mortos.
Muita coisa ainda está por vir. Resta saber se a série vai dar conta de amarrar as pontas soltas.
Deixe seu comentário sobre o episódio. Opine!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

"Glee" - 1x05: 'The Rhodes Not Taken'

Desde o episódio piloto, venho dito que Glee tem orgulho em ser clichê. E “The Rhodes Not Taken” apenas enfatiza mais ainda isso.

Em 1x04 – “Preggers”, Rachel (Lea Michele) sai do coral para estrelar “Cabaré” – em mais umas das tramóias mal desenvolvidas de Sue Sylvester (Jane Lynch) para destruir com o clube Glee. Agora que o coral está desfalcado, Will (Matthew Morrison) percebe que não terão chance nos regionais, para isso, ele convoca April (Kristin Chenoweth) – uma ex-aluna que nunca se formou – para dar uma ajuda ao coral. O problema em questão é que April sempre está bêbada e suas atitudes não são das mais éticas. Mesmo assim, Will ainda a acha a melhor opção, indo contra os conselhos de Emma (Jayma Mays) – sempre com a razão – que acredita que os outros alunos têm que mostrar o seu talento. Enquanto isso, o escândalo entre Quinn (Diana Agron) e Finn (Cory Montheith) revelado no episódio anterior começa a se espalhar lentamente pelos corredores da McKinley High School.

E, mais uma vez, o previsível vence sobre uma trama bem desenvolvida, fazendo com que o clímax do episódio seja mais banal do que o episódio inteiro. E, como sempre, Emma nunca é ouvida, pois os coadjuvantes têm uma ótima história para ser desenvolvida, mas são ofuscados pela facilidade de se exibir um episódio clichê.

Por um tempo desconsiderei as musicas que tocam na série, focando apenas no desenvolvimento da história, mas em “The Rhodes Not Taken”, não poderia desconsiderá-las, pois elas foram a única coisa boa do episódio.

Deixe o seu comentário. Opine!

sábado, 12 de dezembro de 2009

"Supernatural" - 5x05: 'Fallen Idol'


5x01 - “Sympathy for The Devil” foi misterioso, 5x02 – “Good God, Y’ All” foi tenso, 5x03 – “Free to Be You and Me” foi dramático e 5x04 – “The End” foi novamente tenso, e “Fallen Idol” foi cômico!

No episódio, Dean (Jensen Ackles) e Sam (Jared Padalecki) investigam uma serie de mortes aparentemente causadas por famosos, estes que são Gandhi, Lincoln e James Dean. Logo, os irmãos acreditam que sejam apenas fantasmas cujo vitimas sejam fãs obcecados por estes. Mas quando uma fã de Paris Hilton é raptada pela própria Paris, Dean e Sam não fazem idéia do que realmente estão caçando.

O episódio é repleto de referencias à Paris Hilton, como citar “The Simple Life” ou o seu reality show na MTV – “My New BFF”, além de um museu de cera ser usado como local para o clímax do episódio, uma referencia ao terror “A Casa de Cera”, que tinha Paris Hilton e Jared Padalecki no elenco.

Como disse em Smallville 9x03 - "Rabid", é interessante essa variação de gêneros, pois deu uma aliviada na seriedade com que a temporada estava sendo conduzida.

Siga-me no Twitter: @lucas_lmc

O que você achou deste episódio? Deixe seu comentário.

"Flashforward" - 1x03: '137 Sekunden'


No episódio anterior (1x02 – “White to Play”), comentei que o episódio manteve-se no mesmo nível do piloto (1x01 – “No More Good Days), infelizmente, “137 Sekunden” não teve a mesma sorte.

Um ex-nazista, preso por seus crimes, diz ter informações importantes sobre o apagão, Mark (Joseph Fiennes) e Janis (Christine Woods) vão até a Alemanha averiguar estas informações. Mas este ex-nazista é um grande manipulador e só irá fornecer tais informações em troca de liberdade, agora Mark e Janis entram na discussão se libertar um assassino em troca de informações que podem não levar a lugar algum é o melhor a se fazer. Enquanto isso, Demetri (John Cho) começa a investigar uma misteriosa ligação que recebeu, essa ligação nada mais é do que de uma mulher que alega ter visto em seu flashforward um relatório sobre o assassinato de Demetri. Além disso, Demetri tem que se preocupar com o fato de que sua noiva viu em seu flashforward o casamento dos dois, mas como seria o casamento se daqui a seis meses ele estará morto?

Voltando ao ex-nazista, o fato dele ser um manipulador foi forçado, apenas para dar um tom mais tenso, falhando nesta intenção, a trama ficou desinteressante.

O episódio inteiro foi apenas para lançar mais perguntas, e a lista de perguntas a serem respondidas aumentam mais ainda. Devido a grande quantidade de histórias se desenvolvendo ao mesmo tempo, é novamente repetida informações já mostradas, tornando o episódio maçante.

Deixe o seu comentário. Participe!

sábado, 5 de dezembro de 2009

"Modern Family" - 1x03: 'Come Fly With Me'


No fim do episódio piloto, é revelado que Mitchell (Jesse Tyler Ferguson) e Claire (Julie Bowen) são filhos do primeiro casamento de Jay (Ed O’Neill). Em “Come Fly With Me”, começamos a ver como a família se relaciona uns com os outros.

Jay nunca foi muito de se relacionar com Phil (Ty Burrell), ele também tem medo de se aproximar do sogro e, seguindo um conselho dado por Claire, decide passar na companhia de Jay que está aproveitando o dia para se divertir com a sua paixão pelo aeromodelismo. Enquanto isso Gloria (Sofia Vergara) e Alex (Ariel Winter) passam uma tarde no shopping, não como avó e neta, mas como amigas. Falando em amizade, Manny (Rico Rodriguez) não está se dando bem com Luke (Nolan Gould), por isso passa uma tarde inteira conversando com Claire, que só pensa nos problemas que está tendo com Haley (Sarah Hyland).

Já Mitchell se vê encantado com a tamanha diversidade de produtos que uma loja de departamentos, sendo que era só para comprar fraldas para Lily. Nos depoimentos, é contado como ele conheceu Cameron (Eric Stonestreet).

O episódio foi hilário, mantendo-se no mesmo nível dos anteriores. O interessante foi mostrar a relação entre os personagens, afinal, todas as famílias têm seus conflitos e defeitos, e há muito que se explorar a partir disto.

Deixe os seus comentários! Sua opinião é muito importante para o blog.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

"Smallville" - 9x03: 'Rabid'


Há momentos em que as séries precisam fugir do comum, como o episódio musical de Buffy, por exemplo. E Smallville, após tanto tempo decidiu fugir um pouco do comum, com um episódio MUITO trash!

Em “Rabid”, Metropolis é contaminada por um vírus que transforma todos em uma espécie de zumbi, começando por Tess (Cassidy Freeman) até que Lois (Erica Durance) também é contaminada, para desespero de Clark (Tom Welling), que descobre que seu sangue é o único antídoto para o vírus, pois este foi lançado por Zod (Callum Blue), a fim de confirmar as suspeitas de que o Borrão é kryptoniano.

Enquanto Metropolis dá uma de “Resident Evil”, Oliver (Justin Hartley) continua vivendo perigosamente para encontrar um motivo para continuar vivendo. Ignorando os conselhos de Clark (Ok, eu também ignoraria, pois Clark é muito mala).

Como disse antes, mudar o ritmo foi muito interessante de se ver. Mas a série nunca apostou num tom sobrenatural, acabando com a identidade da série, não que seja algo ruim, mas é algo difícil de acostumar, sendo que se passaram oito temporadas no melhor estilo "monstro da semana".

Lois dizendo para Calrk:"Você tem um longo caminho antes de conseguir fazer isso (tornar-se um herói de verdade)" foi muito forçado, mas serviu como uma mensagem aos fãs dizendo para que ainda continuem vendo, pois ainda tem coisa pela frente.

Você acha importante que as séries dêem uma diferenciada em alguns episódios? Deixe seus comentários!

sábado, 28 de novembro de 2009

"Glee" - 1x04: 'Preggers'


Em 1x03 “Acafellas”, Kurt (Chris Colfer) conta para Mercedes (Amber Riley) o que todos já sabiam: Kurt é gay. Mas ele não teve ainda a coragem para contar para seu pai. Enquanto isso Rachel (Lea Michele) fica brava por Will (Matthew Morrison) dar uma musica para Tina (Jenna Ushkowitz) e decide participar do musical “Cabaré”, que está sendo dirigido pelo ex-professor de música Sandy (Steve Tobolonsky), para fazer com que Will se arrependa com sua decisão.

Já Quinn (Dianna Agron) e Finn (Cory Monteith) terão de passar por um drama irá chacoalhar seu relacionamento.

Voltando para Kurt, ele decide entrar para o time de futebol da escola, tentando acabar com as suspeitas de seu pai, e adivinhem: ele se torna o melhor jogador. O motivo? Buscando forças na música, mais precisamente, buscando forças em Beyonce e as “Single Ladies”.

Não demora muito para que Ken (Patrick Gallagher) faça com que o resto do time comece a requebrar para poderem ganhar.

Sim, o episódio foi muito engraçado – finalmente Glee provocou algum tipo de emoção em mim. Mas quem não riria ao ver monte de homens com uniforme de futebol amercicano, dançando “Single Ladies”.

Tentaram fazer uma narração filosófica no fim do episódio com Sue (Jane Lynch), mas ela uma antagonista, devemos sentir no mínimo ódio por ela, desconsiderando qualquer opinião que ela possa passar para o publico.

Para concluir, devo dizer que o episódio mostrou que Beyonce pode ser muito mais poderosa do que pensávamos.

Cante, dance, fale! Deixe seus comentários.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

"Supernatural" - 5x04: 'The End'


No episódio anterior (1x03 – “Free to be You and Me”), Sam (Jared Padalecki) descobre que Lúcifer o elegeu como seu receptáculo, ou seja, ele quer possuir o corpo de Sam, fazendo de Nick (Mark Pellegrino) apenas um recipiente provisório.

Em “The End”, Zacariah (Kurt Fuller) envia Dean (Jensen Ackles) cinco anos no futuro, a fim de convencê-lo que aceitar ser o receptáculo do arcanjo Michael. Eis que este futuro apocalíptico é dominado pelo vírus Croatoan (visto na 2ª temporada), em que o Dean do futuro, Chuck (Rob Benedict) e um Castiel (Misha Collins) humano e com uma leve tendência à promiscuidade lideram uma resistência. Sam aparentemente está morto, mas na verdade, ele disse “sim” para Lúcifer.

O encontro do Dean atual com o Dean do futuro foi interessante, mostrando que certas atitudes nunca mudam, mas muitas coisas mudaram em cinco anos, este Dean do futuro voltou a torturar demônios a fim de conseguir informações sobre o paradeiro de Lúcifer, além de tomar decisões completamente diferentes do que o Dean atual tomaria.

O episódio reintroduz uma peça que poderá destruir Lúcifer: a Colt.

“The End” funciona mais como um flashforward, que faz com que nos interessemos mais ainda com o que irá acontecer que irá levar até onde levou.

Deixe seus comentários! Opine!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

"The Vampire Diaries" - 1x04: 'Family Ties'


The Vampire Diaries começou a definir mais claramente a história desta temporada, já que os episódios anteriores foram apenas para estabelecer o clima da série.

Em “Family Ties”, Stefan (Paul Wesley) começa a tomar atitudes a fim de parar Damon (Ian Somerhalder), que continua manipulando e se alimentando do sangue de Caroline (Candice Accola), existem dois meios de parar Damon: 1) Stefan terá que se alimentar de sangue humano para ficar mais forte que o irmão, indo contra todos os seus principios; 2) Envenenar Damon com verbena, uma erva que para os vampiros é tóxica, mas esta erva não cresce a anos em Mistic Falls, graças a Damon. Então é aí que entra o “tio” Zach (coloquei tio entre parênteses, pois na verdade ele é sobrinho de Stefan, e não o contrário), Zach secretamente começou a cultivar verbena no porão da mansão Salvatore.

Enquanto isso, Elena (Nina Dobrev) descobre coisas terríveis sobre o passado de Stefan, e começa a encontrar razões para acreditar nelas, mesmo sendo Damon o responsável por contar tais histórias a Elena. Além disso, ela ainda precisa comparecer ao Baile dos Fundadores de Mistic Falls, como representante da família Gibert ela precisa emprestar um relógio de família para deixar na exposição do museu da cidade, o desaparecimento deste relógio deixa a prefeita da cidade e outros líderes da cidade desesperados. Mas, o que há de tão especial nesse relógio?

Durante o Baile, Jenna (Sarah Carey) reencontra Logan, um antigo amor do colégio que agora é um repórter local. Obviamente, esse interesse amoroso é completamente desnecessário, mas serve para introduzir com naturalidade Logan na trama, já que ele também faz parte destes líderes que estão procurando pelo relógio.

A cena de Damon lendo Crepúsculo e dizendo: “Esse Edward é muito vidrado... Vampiros não brilham no sol, nós queimamos... Esse livro está errado.” Foi uma cena hilária, Damon está sendo o melhor vilão desta fall season!

O episódio termina com uma cena que faz você falar “Vixe... Fudeu de vez!”, com Logan falando para os outros poderosos de Mistic Falls (pausa dramática para avisar que tem spoiler): “Eles voltaram”.

Para que serve o relógio da família Gilbert? Stefan conseguirá terminar com a matança provocada por Damon? Deixe seus comentários!

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

"Flashforward" - 1x02: 'White to Play'


É bastante comum que séries novas caiam um pouco de nível do primeiro para o segundo episódio, já que o piloto tem mais a função de chamar o publico, a série começa mesmo nos próximos episódios.

Flasforward mostrou-se diferente nesse quesito, obviamente, o piloto chamou o publico, mas “White to Play” não deixou a desejar. Mas, só porque o episódio mostrou-se no mesmo nível do piloto, não quer dizer que não teve seus problemas.

No episódio, Mark (Joseph Fiennes), Demetri (John Cho) e Janis (Christine Woods) começam a dar os primeiros passos na investigação do apagão, seguindo uma pista que os levam até o estado de Utah, a pista é tirada do flashforward de Mark, fazendo com que Demetri ache que é um beco sem saída, talvez seja pelo fato de que ele não viu nada e que no episódio Demetri encontrou motivos a mais para acreditar que o fato de não ter visto nada era pelo fato de que daqui a seis meses ele está morto. Enquanto isso, Charlie está tendo problemas em compartilhar com seus pais o que viu em seu flashforward, mas sabemos que tem algo a ver com Dylan, paciente de Olivia (Sonya Valger) e filho de Lloyd (Jack Davenport), na verdade, Lloyd nada mais é do que o homem que Olivia viu em sua visão.

O flashforward de Olivia foi repetido umas três vezes no episódio, é prudente deixar evidente a ligação do que está acontecendo no presente com as visões, mas não precisa repetir isso exaustivamente. O problema do episódio foi a repetição de informações já mostradas, dá a impressão de que todos que estão acompanhando a série se esqueceram do episódio anterior, resumindo, os roteiristas devem ter pensado que ficaria confuso o episódio, mas antes algo confuso do que algo irritante e desinteressante.

Os dois episódios deixaram perguntas, espero que os outros tenham a capacidade de terem respostas.

Será que Flashforward responderá a todas as perguntas? O que pode ter causado o apagão? Deixe seus palpites e seus comentários sobre a série e o conteúdo do blog!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

"Modern Family" - 1x02: 'The Bicycle Thief'


A meu ver, Modern Family está tão boa (mesmo sendo cedo de se dizer isso, pois ainda estou no segundo episódio), na verdade, ela conseguiu superar até a insuperável 30 Rock, de Tina Fey e companhia.

Em “The Bicycle Thief”, Phil (Ty Burrell) compra uma bicicleta para Luke (Nolan Gould), mesmo sem a aprovação de Claire (Julie Bowen), que acha que Luke precisa antes aprender ser responsável, para que possa merecê-la. Enquanto isso, Mitchell (Jesse Tyler Ferguson) e Cameron (Eric Stonestreet) estão dando os primeiros passos na interação de Lily com outros bebes e adultos, mesmo Mitchell tentando ser discreto com relação a sua opção sexual, batendo de frente com Cameron, que não liga para isso. Já Jay (Ed O’Neill) começa a dar os primeiros passos para se aproximar de Manny (Rico Rodriguez), que só faz pensar em como seu pai biológico é fantástico.

A história da bicicleta de Luke é o principal do episódio, e acaba sendo previsivel, mesmo assim, não falha nas piadas, que são hilárias!

Cameron também tem seus bons momentos no episódio, mostrando sua paixão incondicional por Meryl Streep, com seus ataques histéricos hilariantes. Mas o trunfo do episódio, novamente, é Phil quem é detentor das melhores piadas e situações. A parte boa é que os roteiristas estão acreditando no potencial de Phil como principal piadista, mas a parte ruim é que também existem personagens com grande potencial de se destacar.

O que você achou desta resenha? E o episódio? Você assistiu? O que achou? Deixe seu comentário!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

"Smallville" - 9x02: 'Metallo'


Em 9x01 – “Savior”, fomos apresentados a John Corben (Brian Austin Green), um repórter do Planeta Diário que voltou do Afeganistão e ocupou o cargo de Clark (Tom Welling), que se afastou do trabalho para treinar o seu lado kryptoniano.

Enquanto Lois (Erica Durance) tem de aguentar as investidas de John e seus frequentes “pesadelos” (que na verdade são lembranças do tempo que esteve no futuro). Tess (Cassidy Freeman) está procurando Zod (Callum Blue) e seu pequeno exercito que em “Savior” usavam a mansão Luthor como QG e depois desapareceram sem deixar vestígios.

Quem conhece um pouco das historias em quadrinhos do Superman já sabe que John se tornará o vilão Metallo, meio-homem e meio-maquina teve seu coração substituído por um de kryptonita após ser atropelado por um caminhão. John tem uma raiva imensa do Borrão (Clark), já que julga o Borrão o culpado pela morte da irmã. Agora que John se tornou um cyborg, ele vai utilizar as habilidades que adquiriu com sua transformação para ter vingança.

Obviamente, John se tornou o vilão, mas a história dele é muito boa, poderia ter sido mais explorada para que sentíssemos um certo carisma por ele, embora tenho a impressão de que Smallville não tem a capacidade de criar um vilão cativante (com exceção de Lex Luthor, ainda que os méritos vão para Michael Rosenbaum e seu carisma, não para a série).

Vi noticias dizendo que Metallo irá retornar em algum episódio, mas duvido muito que será para explorar seu personagem, mas sim para ser mais um “monstro da semana”.

Chloe (Alisson Mack) está sendo muito importante para a construção de Clark, sendo a guia e mentora dele, afinal, Clark é lento demais para se tocar que se é seu dever salvar as pessoas, não conseguirá fazer isso se afastando delas.

De a sua opinião sobre o post ou o episódio! Ela é muito importante para o Série Comentada.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

"Supernatural" - 5x03: 'Free to be You and Me'


Em 5x02 – “Good God Y’ All”, Sam (Jared Padalecki) decide deixar de acompanhar Dean (Jensen Ackles). Já que é impossível de ignorar o que aconteceu na temporada anterior.

Em “Free to be You and Me”, Sam começa a trabalhar em um bar, como qualquer pessoa normal, mas ele é assombrado psicologicamente pelo espírito de sua namorada morta, Jessica. Já Dean continua sua rotina de matar todo tipo de coisa sobrenatural, com destaque para ele falando: “Toma essa, Crepúsculo”, ao matar um vampiro. Hilário!

Tudo corria naturalmente para Dean quando Castiel (Misha Collins) pede ajuda para encontrar o arcanjo Raphael, o único que pode informar o paradeiro de ninguém menos que Deus.

Castiel teve um destaque hilário no episódio, trabalhando ao lado de Dean e tentando levar uma vida mais próxima dos humanos.

O episódio foi meio parado, mas a série precisava de um espaço para desenvolver sua história, ou seja, é uma falação sem fim, mas é necessário.

Não se esconda com medo de alguma criatura sobrenatural. Deixe o seu comentário!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

"Modern Family" - 1x01: 'Pilot'


Durante todo esse tempo que o Série Comentada esteve no ar, estive a procura de uma boa comédia para entrar em sua pauta, já que Glee e United States of Tara não são propriamente classificadas como comédias, ainda que se saiam muito bem em suas piadas. Na verdade procurava algo mais no estilo 30 Rock (até pensei em colocá-la na pauta), mas a série de Tina Fey já é bastante conhecida e sempre procurei trazer algumas séries um pouco mais desconhecidas, aproveitando a Fall Season americana (temporada de estréias de novas séries), a comédia Modern Family é a primeira série deste gênero a fazer parte da pauta do Série Comentada. Seja bem-vinda!

Modern Family conta a história de três famílias, que tem seus próprios conflitos e personalidades, temos Jay (Ed O'Neill), Gloria (Sofia Vergara) e o pequeno Manny (Rico Rodriguez II) em uma família. Phil (Ty Burrell) e Claire (Julie Bowen) com seus filhos Luke(Nolan Gould), Alex (Ariel Winter) e Haley (Sarah Hyland). Temos também Mitchell (Jesse Tyler Ferguson) com seu namorado Cameron (Eric Stonestreet), que são gays e adotaram um bebê. A história destas três famílias é contada de forma documental, com depoimentos dos personagens e a famosa “câmera nervosa” que chacoalha de um lado para o outro de modo a mostrar a correria de todas as famílias.

O melhor de serem três famílias diferentes é que, provavelmente, uma delas pode ser igualzinha a sua. Essa identificação rápida com os personagens faz com que nos cativemos com eles.

Phil é hilário, provavelmente veremos muitas cenas engraçadas protagonizadas por ele.

Deixe o seu comentário sobre o post ou o episódio. Opine!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

"Glee" - 1x03: 'Acafellas'


Emma (Jayma Mays) está namorando o tapado professor de Educação Fisica, Ken, a fim de esquecer sua atração por Will (Matthew Morrison). Que está as voltas com a gravidez de Terri (Jessalyn Gilsig), mas ela está fingindo, apenas para prender seu marido, já que ele passa mais tempo ensaiando os cantores do Glee do que com sua esposa.

Só que o Clube Glee não está mais tão amistoso quanto antes, já que Quinn (Dianna Agron) e Rachel (Lea Michele) estão às procuras de um coreografo famoso que pode ajudar o coral a ganhar o campeonato regional. Com Will praticamente deposto do seu cargo de presidente do coral, ele monta ao lado de Ken, Finn (Cory Montheith) e Puck (Mark Salling) uma boyband intitulada “Acafellas”.

A formação da boyband foi completamente forçada, tentando aproveitar os personagens e dando motivos para não considerá-los tão dispensáveis para a trama. Com exceção disto.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

"Flashforward" - 1x01: 'No More Good Days (Pilot)'


Obviamente, já vimos em Damages o que são flashforwards (clique aqui para ver a sua definição), e na série de Patty Hewes estes elementos introduzidos em sua maioria pelo seriado Lost ocuparam a função de estabelecer uma tensão sobre o que vai acontecer para que Patty chegue até onde o flashforward mostra em Damages, funcionando de forma independente, sem qualquer ligação com a narrativa.

Mas não estamos falando de Damages, entretanto, ela serve para ilustrar a natureza da nova serie da ABC: Flashofrward.

Na série, todas as pessoas do mundo desmaiam por exatos dois minutos e dezessete segundos, causando uma grande catástrofe. Durante o período em que apagaram, todos tiveram uma visão do dia 29 de Abril de 2010, às 22 horas. Mas, por quê?

Cabe ao agente do FBI Mark Benford (Joseph Fiennes), ao lado de seus dois colegas de trabalho, Demetri Noh (John Cho) e Janis Hawk (Christine Woods) descobrirem a resposta desta questão. Mark ainda precisa lidar com o fato de que, em seu flashforward, ele estava bebendo, já que ele teve problemas anteriores com álcool, quase causando o divorcio dele e de Olivia (Sonya Valger), que em seu flashforward viu-se com outro homem.

Janis viu em seu flahsforward ela fazendo uma ultra-sonografia, detalhe: ela não tem nem namorado. O padrinho de Mark no grupo de reabilitação para alcoólicos, Aaron Stark (Brian F. O’Brien) também teve um flashforward que vai ter muito o que se explorar na série: ele viu sua filha, Tracy (Genevieve Cortese) viva, mas faz dois anos que ela morreu no Afeganistão, o que pode significar que ela está na verdade viva. Demetri, ao contrario dos outros já citado, não viu nada no apagão, o que já levantou varias hipótese, incluindo o fato de que Demetri não viu nada pois daqui a seis meses ele pode estar morto.

Ainda temos Charlie - a filha de Mark, a babá de Charlie - Nicole (Peyton List) e o colega de trabalho de Olivia, Bryce (Zachary Knighton), estes personagens ainda não tiveram seus flashforwards revelados pela série.

Uma cena de perseguição de carros protagonizada por Mark e Demetri, que deveria ser simples e apenas para estabelecer uma tensão sobre os minutos que antecedem o apagão, tornou-se semelhante à perseguição de carros em "Os Bad Boys 2". Bem, conseguiu estabelecer o clima de tensão, mas foi muito exagerado, mesmo assim não prejudica em nada.

O fato de muitos terem vistos em seus flashforwards coisas boas (como o ultrassom de Janis e a visão de Tracy viva no flashforward de Aaron) e outras pessoas viram coisas ruins (Olivia com outro homem e Mark voltando a beber, por exemplo) faz com que, ao mesmo tempo é bom que os flashforwards se tornem realidade, pode ao mesmo tempo ser algo ruim.

Mas se você está pensando que a série é muito séria, engana-se. Já que ainda tem espaço para piadas e boas sacadas.

ATENÇÃO FÃS DE LOST: Em uma das cenas do episódio, de acordo com fãs, um anúncio da Oceanic exibe a frase "Perfect Safety Record", o que significaria que nenhum avião da empresa caiu (ainda?). Bom, eu não percebi isso, mas, até que é uma boa sacada.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

"The Vampire Diaries" - 1x03: 'Friday Night Bites'


Já é clichê de todos os seriados teens que se passam em uma escola ter algum tipo de esporte envolvido, e The Vampire Diaries segue esta monotonia, a parte boa é que é uma monotonia difícil de se desgastar, pois cada série utiliza-se dos estereótipos acerca de atletas escolares de modo que se adéqüem à temática da série.

Em “Friday Night Bites”, Stefan (Paul Wesley) se inscreve no time de futebol americano, a fim de se enturmar, provocando o ciúme de Matt (Zach Roerig). Ao mesmo tempo, Stefan se preocupa com o fato de que Damon (Ian Somerhalder) está se aproximando cada vez mais de Elena (Nina Dobrev), que decide voltar ao time de lideres de torcida para voltar a ter uma vida normal. Bonnie (Katerina Graham) tem uma visão assustadora quando toca em Stefan e começa a demonstrar a Elena sua antipatia por ele.

Ainda falando de Bonnie, ela tem sido a melhor coadjuvante da série até o momento, pois sua habilidade de prever o futuro é muito interessante já que tem uma grande importância no desenvolvimento da trama.

Damon, além de seduzir Elena, está tendo um caso com dispensável Caroline (Candice Accola), e ele utiliza suas habilidades de persuasão para conseguir o que quer, pois ele é sadico, cheio de caras e bocas, além de sarcástico, o que estabelece uma demência cativante, que acaba fazendo com que vibremos a cada cena que aparece.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe seu comentário.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

"Smallville" - 9x01: 'Savior'


Antes de comentar sobre o 1º episódio da 9ª temporada de Smallville, aí vão algumas coisas que você precisa saber (contem spoilers):

- Numa luta entre Jimmy (Aaron Ashmore) e Davis (Sam Witwer), o primeiro e ferido e morre, logo depois de ferir Davis que também morre;

- Lois (Erica Durance) é enviada acidentalmente ao futuro;

- Clark (Tom Welling) decide que é hora de assumir seu lado kryptoniano como salvador da humanidade;

- Tess (Cassidy Freeman) liberta o Major Zod (Callum Blue).

Em “Savior”, Lois retorna ao presente três semanas depois, mas trás consigo uma kryptoniana que está muito a fim de matar Clark, que inicia seu treinamento para se tornar o salvador da humanidade. Tess é feita de prisioneira pelo Major Zod e seus aliados. Chloe (Allison Mack) e Oliver (Justin Hartley) estão sofrendo por causa de Jimmy, a primeira se isola em seu apartamento, o segundo procura confusão e se embriaga.

Lois não se lembra de nada do que aconteceu enquanto estava no futuro, apenas alguns flashes sem sentido (para ela que não sabe que Clark é o Borrão Azul e Vermelho) e, depois de nove temporadas, a mesma desculpa para convencer de que os flashes não são nada de importante prevalece: "acho que você bateu a cabeça e está tendo alucinações". Será que sou o único que percebeu que essa não cola mais?

Zod é um kryptoniano com sotaque britânico, obviamente, não chega a ser pior do que indianos com sotaque carioca como era em "Caminho das Índias".

O que você achou do episódio ou do post? Deixe o seu comentário.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

"The Vampire Diaries" - 1x02: 'Night of the Comet'


No episódio anterior, Vicki (Kayla Ewell), irmã de Matt (Zach Roerig) é atacada por Damon (Ian Somerhalder) durante a festa. Em “Night of The Comet”, ela começa a se lembrar que o ataque não foi provocado por um animal, como todos acreditavam.

No episódio, a cidade de Mistic Falls se prepara para a passagem de um cometa que Bonnie (Katerina Graham) crê que seja um mau sinal. Elena (Nina Dobrev) se aproxima cada vez mais de Stefan (Paul Wesley) e a tia de Elena, Jenna (Sarah Carey), responsável por cuidar dos irmãos – Elena e Jeremy (Steven R. McQueen) – é chamada por um professor do segundo, que está se tornando um viciado e traficante de drogas.

O começo do episódio segue a mesma linha do piloto, e ficou meio monótono e previsível, mas não prejudica muito.

Vampiros são criaturas criadas por uma lenda, então existem varias histórias que definem os vampiros (desde os mais comuns até os que viram morcegos), então vários dos trabalhos da mídia baseados na lenda dos vampiros vão seguindo diferentes conceitos, e com The Vampire Diaries não poderiam ser diferentes, apresentando ao longo dos episódios os poderes e fraquezas que estes seres terão.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

domingo, 20 de setembro de 2009

"Glee" - 1x02: 'Showmance'


O clube Glee sempre esteve por baixo na escola, e agora que está sob o comando de Will (Matthew Morrison), as pessoas que se aproveitavam da impopularidade de Glee estão se sentindo ameaçadas, como a Sra. Sylvester (Jane Lynch), a tirana treinadora das populares líderes de torcida. Ela vai fazer de tudo para que Glee acabe, e esta é a trama da temporada.

Em “Showmance”, Will está ensaiando o coral para uma apresentação a escola, a fim de conseguir mais inscritos (já que ele precisa de 12 integrantes no coral para disputar o Regional de Corais). Ao mesmo tempo, ele tem que lidar com o fato de que sua esposa, Terri (Jessalyn Gilsig), está grávida e que o orçamento dos dois não cobre as despesas que surgem com a chegada de um filho.

Rachel (Lea Michele) tenta impressionar Finn (Cory Monteith). A namorada de Finn, Quinn (Dianna Agron) sente que ele está se afastando dela por causa do coral. E decide fazer parte do Clube Glee, a fim de ficar de olho no namorado.

Na ânsia de aproveitar as habilidades vocais de todos os personagens, Quinn não entra à toa para o coral, mas sim para desenvolver a série e sua trama principal da temporada.

Além da sinopse acima, o episódio também fala de bulimia e sexo, que já são assuntos clichês em séries com temática adolescente, mas Glee trata isso com leveza e naturalidade, procurando não ser forçado, e consegue.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

sábado, 19 de setembro de 2009

“Supernatural” - 5x02: ‘Good God, Y’ All!’


Dean (Jensen Ackles), em 5x01 – “Sympathy for the Devil” diz a Sam (Jared Padalecki): “Eu não posso mais confiar em você”, um choque para o publico, algo necessário de se dizer para Sam. Em “Good God, Y’ All”, Dean deixa evidente a Sam que o que ele disse anteriormente era verdade.

Após receberem uma ligação de Rufus, um caçador já visto em episódios anteriores. Os irmãos vão até River Pass, uma cidade onde, aparentemente, grandes partes dos moradores estão sendo possuídos por demônios. Ao chegarem à cidade, eles reencontram Ellen, uma veterana caçadora que apareceu na 2ª temporada que os deixa a par da situação.

O que disse no primeiro parágrafo fica explicito a partir da preocupação de que Sam pode ter uma recaída, já que o sangue de demônio foi o pivô de todos os conflitos da temporada passada.

O episódio foi inteiramente tenso, mas estamos falando do Apocalipse, é claro que vai ser tenso, então é melhor se preparar pelo que virá pela frente nos próximos episódios.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

"United States of Tara" - 1x09: 'Possibility'


Nos últimos dois episódios (1x07 – “Alteratios” e 1x08 – “Abundance”), comentei que ambos utilizaram-se da mesma formula: mostrar o relacionamento entre os personagens. Em “Possibility”, a formula foi a mesma e, não caiu na monotonia.

Em “Possibility”, Max (John Corbett) conta a Tara (Toni Collette) que ele anda investigando seu passado a fim de descobrir o que causou as múltiplas personalidades. Tara discute com Max e decide viajar com Katie (Brie Larson), que tenta de tudo para fazer com que seu chefe se esqueça que os dois tiveram um caso.

Ainda utilizando-se da formula aproximação de personagens, Tara e Katie começam a demonstrar que todo o afeto entre as duas foi apagado pelas múltiplas personalidades, e que não é tarde demais para que este afeto se acabe.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

"Damages" - 1x06: 'She Spat At Me'


Ellen (Rose Byrne) começa a se aproximar de Gregory (Peter Facinelli) para tentar convencê-lo a depor como testemunha chave no caso Frobisher. Mas Gregory está sendo chantageado pelos aliados de Arthur (Ted Danson) e está correndo risco de vida. Patty (Glen Close) convida Ellen e David (Noah Bean) para um jantar em sua casa. Alguém aposta que nesse convite não há nada de apenas gentileza?

Ray (Zeljko Ivanek) e Arthur estabeleceram uma química ao longo dos episódios que é muito interessante de se ver.

Novamente são mostrados no presente elementos mostrados nos flashforwards que ajudam a explicar e deixar explicita o porquê de estarem lá. Com relação aos flashforwards, à medida que eles se aproximam do presente, os episódios têm ganhado tons tensos, o que é fantástico de se ver.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

"Glee" - 1x01: 'Pilot'


Depois de um tempo apagado, o tema musica voltou a ser abordado na TV com a série Glee, que conta a história de um coral escolar arruinado que acaba ficando no comando de Will (Matthew Morrison), que tenta levantar o coral convocando um estereotípico atleta, Finn (Cory Monteith), uma estereotípica e sonhadora aspirante a cantora, Rachel (Lea Michele), um estereotípico nerd, Kurt (Chris Colfer), uma estereotípica asiática chamada (Jenna Ushkowitz), um estereotípico cadeirante chamado Artie (Kevin McHale) e uma estereotípica soprano negra chamada Mercedes (Amber Riley).

Glee não poderia ser o mais caricato e estereotipado possível, mas são estereótipos muitas vezes verdadeiros em escolas.

O episódio piloto mostra a seleção destes personagens já previstos pelos clichês que envolvem o tema colegial. Mas mesmo sendo clichê, é muito bom!

O motivo? Embora o atrativo seja a musica (diga-se de passagem, que é musica boa), são os dramas pessoais que te prendem.

Estou até vendo o CD de Glee estourar no topo dos mais vendidos, mas é algo previsível para o gênero e aceitável. Já que de que adianta criticar o teor musical da série sendo que é o mínimo que se pode esperar dela?

O que você achou do post ou do episódio? Deixe seu comentário.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

"The Vampire Diaries" - 1x01: 'Pilot'


Pegando carona na moda de vampiros (e não estou falando dos que viram purpurina, e sim de True Blood), a CW adaptou os livros de L. Jane Smith: The Vampire Diaries.

The Vampire Diaries conta a história de Elena (Nina Dobrev), uma jovem que perde os pais em um acidente de carro e, quando tenta voltar a sua vida normal, conhece Stefan (Paul Wesley), um misterioso jovem que na verdade é um vampiro com centenas de anos de idade. Logo, Elena se vê numa disputa entre Stefan e seu radical irmão, Damon (Ian Somerhalder).

O episódio piloto começa com um casal em uma estrada escura e isolada, uma cena previsível, já que é fácil saber o que vai acontecer com esse casal, entretanto, ela é impactante e apresenta com competência o ritmo de suspense que a série terá daqui pra frente. Depois vemos Elena se preparando para o primeiro dia de volta às aulas.

Somos apresentados aos outros personagens, o irmão de Elena, Jeremy (Steven R. McQueen), as amigas de Elena, Bonnie (Katerina Graham) e Caroline (Candice Accola) e o ex-namorado de Elena, Matt (Zach Roerig). Depois de muito mistério, um mistério sem sentido, pois já vimos seu rosto, Stefan dá as caras e ainda aparece sem camisa, embora seja uma exibição gratuita, ajuda a estabelecer o clima de sedução que o tema vampiro proporciona.

Além de abdomens, ainda tem festas com adolescentes bebendo e outras coisas que a censura da série não permitiu dizer ou mostrar, mas são as formulas essenciais para um terror adolescente. E é fácil prever que haverá um ataque de vampiro na festa, a parte interessante é que esse clichê vai ser tema para um bom drama pessoal e uma trama paralela bem amarrada.

O trunfo do episódio (e provavelmente, de muitos outros que virão) é a narração em off de Elena e Stefan. Foi muito inteligente usar o fato de que vampiros não entram em casas sem serem convidados, estabelece certa dinâmica com relação ao fato de Stefan ser um vampiro e querer estar com Elena.

Paul Wesley não é expressivo, não trazendo nenhum indicio de que transmite emoção, obviamente, é difícil afirmar isso, pois é apenas o piloto, mas a coisa pode mudar de figura, ou não.

Bonnie dizendo "É apenas o começo" é muito clichê, mas ajuda a estabelecer o clima de tensão dos próximos episódios. Resumindo, o episódio piloto preparou o terreno para a série se desenvolver com naturalidade, e isso já é bom.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

sábado, 12 de setembro de 2009

"Supernatural" - 5x01: 'Sympathy for the Devil'


Supernatural está de volta à pauta do Série Comentada, com sua 5ª temporada. Mas antes de falarmos sobre “Sympathy for the Devil”, aí vai alguns fatos importantes da 4ª temporada (acho que não preciso nem falar que tem spoilers):

- Dean (Jensen Ackles) e Sam (Jared Padalecki) não conseguem impedir a chegada de Lúcifer;

- Os irmãos encontram Chuck, um escritor que é autor de uma série de livros intitulada “Supernatural”, contando as histórias dos Winchesters. Chuck na verdade era um profeta, e as histórias que pensava ser fruto de sua imaginação eram visões;

- Ruby (Genevieve Cortese) é morta;

- Castiel (Misha Collins), após descumprir uma ordem vinda do céu, é atacado.

Agora vamos ao episódio: “Sympathy for the Devil” começa a partir do fim da 4ª temporada, com a libertação de Lúcifer. E logo vemos o Diabo à procura de um recipiente, ou seja, um corpo para possuir. Ele começa a sondar Nick (Mark Pellegrino), tentando convencê-lo a deixar ser possuído (já que os anjos precisam do consentimento de seus hospedeiros para que possam possuí-los). Enquanto isso, Sam se culpa por ter influenciado diretamente a chegada de Lúcifer.

Boa a sacada de usar a Gripe Suína para indicar que o mundo está pirando por causa da chegada de Lúcifer.

O fato de tanto os anjos quanto os demônios verem nos humanos que somos apenas recipientes mostra o quão primitivo são os aliados e inimigos dos irmãos Winchester.

Por mais que o tema Apocalipse demonstre seriedade, o episódio consegue achar espaço para inserir comédia, o que deixa o episódio mais leve.

Bobby ganhou um pouco de destaque no episódio, já que aconteceu algo que provavelmente será mais explorado, e isso acrescentará mais para o personagem.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe seu comentário.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

"United States of Tara" - 1x08: 'Abundance'


No episódio anterior (1x07 – “Alterations”) nos aproximamos da verdade sobre uma possível nova personalidade de Tara (Toni Collete), e conhecemos mais sobre a personalidade Buck. Em “Abundance”, manteve-se a formula, mudaram-se os ingredientes.

Max (John Corbett) decide contar a Tara que uma nova personalidade está surgindo. Quando ela descobre, acaba incorporando a personalidade Alice, que começa a acreditar estar grávida. Katie (Brie Larson) está tendo um romance com seu chefe e após uma briga é demitida. Marshall (Keir Gilchrist) se aproxima cada vez mais de Jason. E Max começa a acreditar que um acontecimento do passado de Tara foi o responsável pelo surgimento das personalidades, e decide começar a investigar sem o consentimento de sua esposa.

Já disse anteriormente que Alice é a personalidade mais engraçada da série, chamando o DIU de instrumento diabólico e outras confusões comuns de pessoas que não tiveram a instrução correta sobre gravidez.

A trama principal da temporada flui em segundo pano, mas sem perder sua importância e, como disse no começo, o episódio mostrou mais de Alice e seu relacionamento com os outros membros da família, tanto que Alice, Katie e Charmaine (Rosemarie DeWitt) têm uma cena no melhor estilo “clube da Luluzinha”, em que as três dão a receita de como fazer com que um homem faça o que a mulher quer. Ok, é muito feminista, mas pelo menos dá pra ter uma noção que por mais que Alice pareça ser boazinha e conservadora, ela sabe jogar sujo também, essa tridimensionalidade de um personagem que poderia ter sido descartado facilmente dá um toque muito interessante.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

“Terminator: The Sarah Connor Chronicles” – 1ª temporada comentada


Por mais que a 1ª temporada de Terminator: The Sarah Connor Chronicles tenha sido muito boa, ela podia ter sido melhor.

A temporada, além de estabelecer um ritmo que os episódios irão ter também ajuda o espectador a se familiarizar com os conceitos de viagem no tempo, já que nem todos assistiram aos filmes (por incrível que pareça). Girando em torno da criação da Skynet, Sarah (Lena Headey), John (Thomas Dekker) e Cameron (Summer Glau) precisam impedir que o “Turco” torne-se a peça chave para o dia do julgamento, entre outras ameaças que farão com que o futuro seja bem sombrio.

Obviamente, o desenvolvimento da trama e dos personagens foram prejudicados pelo fato de ter sido uma temporada curta, um bom exemplo de personagem prejudicado é o agente do FBI Ellison (Richard T. Jones), que tinha uma história interessante, mas apagada.

Summer Glau dá um show interpretando Cameron, se tem um personagem que é o mais difícil de representar é um robô, Garret Dillahunt não teve a mesma sorte pois seu Cromartie, além de não ameaçar ninguém, é cheio de caras e bocas.

Outro exemplo de má construção de personagem é John, que começou a temporada com um desenvolvimento legal, mas depois virou um pé no saco, tanto que seu desenvolvimento entrou em contradição com o desenvolvimento do John Connor dos filmes. No segundo filme (Terminator 2: Judgment Day) John é forte é corajoso, do tipo que não se abala, só que na série ele é um fresco e chato, mas, a segunda mulher do elenco salva a pátria.

Por mais que Lena Headey não tenha o carisma de Linda Hamilton (atriz que viveu Sarah Connor nos filmes), consegue fazer de Sarah uma mãe rígida, que não deixa transparecer isso a menos que julgue necessário.

Por mais que a temporada tenha sido meio fraca, não conseguiu ser pior que a 3ª de Heroes, ainda bem!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

"Chuck" - 2x05: 'Chuck versus Tom Sawyer'


Nos últimos dois episódios de Chuck (2x03 – “Chuck versus The Break-up” e 2x04 – “Chuck versus the Cougars”), disse que os funcionários da Buy More ocupavam a função de alivio cômico, por mais que engraçadas, as cenas deles eram dispensáveis. Em “Chuck versus Tom Sawyer”, o alivio cômico ainda continuou, mas ocupando uma função de importância.

Um terrorista aparece na Buy More perguntando por Jeff (Scott Krinsky), sim o esquisito amigo de Chuck. O motivo? Jeff foi, alguns anos atrás, campeão de Missile Command, um fliperama da época, o fliperama guarda um código de desativação de um satélite com armas nucleares e a única chance de pegar esse código é vencendo o jogo, ou seja, o destino de vidas está nas mãos de Jeff.

Assim como 2x04 – “Chuck Versus the Cougars”, o episódio serviu para estabelecer uma identidade para um personagem apagado, embora seja uma formula já repetida no episódio anterior, funcionou bem mesmo soando forçado.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

sábado, 15 de agosto de 2009

"Damages" - 1x05: 'A regular Earl Anthony'


No episódio anterior (1x04 – “Tastes Like a Ho Ho”) Katie (Anastasia Griffith) testemunhou a favor de Patty (Glen Close) e seus clientes, entretanto, as informações que Katie tinha nada mais eram do que dadas por Gregory Malina(Peter Facinelli), informações falsas que fizeram com que Katie seja desmentida como testemunha.

Agora que Patty não tem mais nenhuma carta na manga - nenhuma carta conhecida, lógico – Arthur (Ted Danson) ainda utilizando um dos clientes de Patty para conseguir informações sobre o caso, o convence de que Patty não está ajudando em nada para o caso, e faz com que seus clientes a demitam. O novo advogado contratado para defender os ex-funcionarios no caso? Tom Shayes (Tate Donovan).

Tom ganha um pouco de destaque neste episódio, mostrando que quer sair da sombra manipuladora de Patty.

As cenas que mostram o relacionamento de Ellen (Rose Byrne) e sua mãe são meio forçadas, já que relacionamento familiar não é o foco principal do episódio, mas não prejudica em nada.

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

"United States of Tara" - 1x07: 'Alterations'


No episódio anterior (1x06 – “Transition”), Charmaine (Rosemarie DeWitt) revela o fato de que seu ex-namorado a convenceu na época a fazer uma cirurgia plástica, entretanto, esta cirurgia não saiu conforme o esperado e o resultado é que Charmaine tem um de seus seios deformados. Neste episódio, ela decide fazer uma nova cirurgia, corrigindo o erro da anterior.

A cirurgia é um sucesso, e Tara (Toni Collette) será a companheira de Charmaine durante a recuperação, o problema em questão é que Tara acaba incorporando Buck, a personalidade marrenta e mal-educada de um veterano do Vietnã.

O episódio serviu para mostrar mais o relacionamento entre os personagens, que antes era algo explorado rasteiramente, logo vemos pela primeira vez o relacionamento de Buck e Charmaine, fazendo com que o publico perceba que a antipatia de Charmaine pelas personalidades era simplesmente pelo fato de que ela nunca havia se aproximado dela.

Ainda com a função de mostrar o relacionamento entre os personagens, Katie (Brie Larson) dá conselhos a Marshall sobre como se aproximar de Jason.

Siga-nos no Twitter: @seriecomentada

O que você achou do post ou do episódio? Deixe o seu comentário.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

"Terminator: The Sarah Connor Crhonicles" - 1x09: 'What He Beheld (Season Finale)'


Este é o ultimo episódio de Terminator: The Sarah Connor Chronicles que irei comentar aqui no Série Comentada (ainda não sei se vou falar sobre a 2ª temporada). O final da 1ª temporada foi bom, mas podia ser melhor.

Sarah (Lena Headey) continua na luta para conseguir encontrar o “Turco” e começa a negociar com quem o possui. Ellison (Richard T. Jones) começa a acreditar em Sarah, logo que se vê em uma situação em que seu conceito de o que é normal passa a ser desafiado.

Para enfatizar o que acabei de dizer sobre Ellison, do nada ele se torna um religioso para tentar um confronto entre o que está acontecendo e suas crenças, o que seria muito interessante, se seu personagem tivesse sido mais explorado.

John (Thomas Dekker) continua fresco, ficando emburrado ao acreditar que a mãe esqueceu-se do seu aniversário. O que funciona apenas para exaltar o fato de que John vê em Sarah uma professora, e não uma mãe.

A cena do ataque do FBI a Cromartie (Garret Dillahunt) foi muito bem feita, mesmo sendo prejudicada por não mostrar o ataque em detalhes, mas acabou funcionando em seu intuito de criar tensão.

Siga-nos no Twitter: @seriecomentada

O que você achou deste post e do episódio? Deixe o seu comentário.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

"Chuck" - 2x04: 'Chuck versus the Cougars'


Chuck tem contado com episódios razoáveis, nada com que se possa aplaudir fervorosamente. Bom, “Chuck versus The Cougars” foi o melhor episódio da segunda temporada, até agora.

Sarah (Yvonne Strahovski) reencontra uma antiga colega de escola, tecnicamente uma inimiga, e logo vemos que Sarah quer mais do que tudo fugir do seu passado, entretanto, Chuck (Zachary Levi) descobre (com sua habilidade causada pelo fato de ser o Intersect) que essa colega está envolvida com a máfia russa, ligado com a fabricação de bombas. Agora Sarah terá que participar da reunião dos formandos da turma de 1998, a fim de interceptar a máfia e impedir que eles tenham em mãos este tipo de armamento.

O episódio torna-se interessante, pois mostra o passado de Sarah, algo nunca antes explorado, além de humanizar Sarah, que antes era vista como uma pessoa invulnerável, devido ao fato de ser uma agente.

No episódio anterior (2x03 – “Chuck versus The Brak-Up”) disse que os amigos de Chuck, que trabalhar na Buy More, não fizeram nada, e novamente eles ocupam a ingrata de alivio cômico. Pois é, só porque é o melhor episódio até agora, não quer dizer que ele foi perfeito.

Siga-nos no Twitter: @seriecomentada

O que você achou do post e do episódio? Deixe o seu comentário.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

"Damages" - 1x04: 'Tastes Like a Ho Ho'


Katie (Anastasia Griffith) está se preparando para depor a favor de Patty (Glen Close) no caso Forbisher, mesmo que não tenha informações muito relevantes para um caso que, se não fosse pela perseverança de Patty, já teria sido encerrado e a justiça não teria sido feita.

O episódio ficou com um tom meio estranho, pois tem como titulo uma frase que algum personagem disse (todos os episódios seguem este padrão), mais estranho ainda é o titulo do episódio ser algo do tipo: "Tem gosto parecido com Há há", Ok, um titulo não afeta o seriado então vamos deixar de lado isso.

No episódio piloto, Patty quis mostrar para Ellen (Rose Byrne) como ela é rígida, para isso, ela demite Tom (Tate Donovan), sendo que Tom continua trabalhando para Patty secretamente, por causa disso, Tom tem sua força de trabalho barrado por sua condição, e isso ainda vai dar muito que explorar.

À medida que Katie se envolve com o caso Frobisher, segredos sombrios da sua vida são revelados, como o seu envolvimento com drogas, um choque para a relação entre Ellen e Katie.

Ray (Zeljko Ivanek) manipula Katie durante o depoimento, fazendo com que ela fique desconfortável, mas Katie devolve demonstrando não se afetar com isso, mostrando como qualquer pessoa pode ser forte e segura de si, basta cutucar na hora certa.

Siga-nos no Twitter: @seriecomentada

O que você achou do post e do episódio? Deixe o seu comentário.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

“Terminator: The Sarah Connor Chronicles” – 1x08: ‘Vick’s Chip’


Ao longo dos episódios, descobrimos que muitos exterminadores foram enviados ao passado com missões especificas, não apenas para impedir John (Thomas Dekker) de se tornar líder da resistência contra as maquinas, quando um exterminador chamado Vick é destruído, Cameron (Summer Glau) guarda em segredo o chip deste, contendo a memória visual e informações sobre a missão do qual Vick foi designado.

John, com seus conhecimentos em tecnologia, decide explorar o conteúdo do chip, que leva Sarah (Lena Headey) e Derek (Brian Austin Green) a uma possível ameaça que criará a Skynet no futuro: um sistema de controle de transito.

O episódio não acrescenta em nada sobre a trama principal (que é sobre o desaparecimento do “Turco”), é o penúltimo episódio da temporada, e um episódio que caminha para lugar nenhum, mas tudo bem, pelo menos serve pra exaltar a fragilidade de John e a paranóia sem sentido de Derek.

Siga-nos no Twitter: @seriecomentada

O que você achou do post e do episódio? Deixe o seu comentário.

sábado, 18 de julho de 2009

“Chuck”- 2x03: 'Chuck versus the Break-up'


Um intimo colega de trabalho (Matthew Bomer) de Sarah (Yvonne Strahovski) está na área, e Chuck (Zachary Levi) fica roendo de ciúmes, já que este “colega” é mais inteligente, mais bonito, mais maduro, mais profissional que Chuck. O motivo de Bryce (nome do agente em questão, já sido explorado em episódios anteriores) é porque ele precisa recuperar um microchip roubado pela FULCRUM, este microchip contém informações vitais sobre as operações da CIA e da NSA, incluindo o disfarce de Chuck.

Devido às habilidades notórias de Bryce, logo ele é colocado como o cabeça da missão, e Chuck é rebaixado a segundo plano, tanto que Sarah volta suas atenções para Bryce.

Chuck fica desapontado toda vez que tenta ter uma vida normal, pois é barrado por sua condição. Essa condição faz com que ele tenha que mascarar seus sentimentos por Sarah, pois a seriedade de sua condição faz com que ele tenha que esquecer seus sentimentos e agir profissionalmente. Seriedade essa que Ellie (Sarah Lancaster) mostra a Chuck, dando sinais que problemas grandes estão aparecendo e que é hora dele amadurecer.

Os amigos que Chuck tem, Lester (Vik Sahay), Jeff (Scott Krinsky), Morgan (Joshua Gomez) e Anna (Julia Ling) acabam sendo os alívios cômicos do episódio, não prestando pra nada.


O que você achou deste episódio? Deixe o seu comentário.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

“Damages” – 1x03: ‘And My Paralyzing Fear Of Death’


Patty (Glen Close) recebe uma ameaça de morte, Ray (Zeljko Ivanek), advogado de Arthur (Ted Danson) fecha o cerco e tenta derrubar Patty devido ao fato de ter poucas evidencia para se ter uma resolução para o caso. Poucas evidencias oficiais, já que Patty sempre tem uma carta na manga, e nem uma ameaça de morte pode abalá-la.

Nos episódios anteriores (1x01 – “Pilot” e 1x02 – “Jesus, Mary And Joe Cocker”), Katie (Anastasia Griffith) mostra seu envolvimento com o caso, mas omite alguns fatos.

Patty Hewes manipula as pessoas, isso não é novidade, manipula Katie, Ray, Ellen (Rose Byrne), seus empregados e até seu filho. E isso é demais!

Sobre os flashforwards, vemos no presente uma peça importante para o que acontecerá no futuro, logo estabelecemos uma teoria sobre esta peça, mas vemos que não é bem isso. E mais uma vez comento sobre a beleza dos flashforwards, em que tudo caminha para um só final, que trará as respostas para todos os mistérios, e Damages está lidando com este recurso (os flashforwards) com um imenso cuidado.

O que você achou deste episódio? Deixe o seu comentário.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

“United States of Tara” – 1x06: ‘Transition’


As personalidades de Tara (Toni Collette) surgem quando ela está sobre forte stress, e adivinhem, os dominadores e controladores pais de Tara resolveram passar uns dias em sua casa, e isso já é o suficiente para deixar Tara estressada.

Os pais de Tara querem levar Marshall (Keir Gilchrist) e Kate (Brie Larson) para morar com eles, pois tem medo de que Tara faça algo com eles, e Max (John Corbett) não vai deixar isso acontecer, pois faz de tudo para evitar que Tara incorpore uma de suas personalidades.

O episódio mostra a fidelidade que Max tem com Tara, ao se preocupar com ela e fazer de tudo para que a estada dos pais dela seja a mais calma possível. Vemos também o abismo que tem no relacionamento de Marshall e Charmaine (Rosemarie DeWitt), um abismo que a instabilidade de Tara está curando aos poucos, pois a cada situação que as múltiplas personalidades de Tara provocam, é uma aproximação maior entre os dois.


O que você achou deste episódio? Deixe o seu comentário.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

“Terminator: The Sarah Connor Chronicles” – 1x07: ‘The Demon Hand’


No episódio anterior (1x06 – “Dungeons & Dragons”) sabemos que o “Turco” (para saber sobre ele leia 1x03 – “The Turk”) foi roubado, em “The Demon Hand” descobrimos que o responsável pelo roubo dele é uma gangue russa, Cameron (Summer Glau) se aproxima da irmã de um dos membros desta gangue para conseguir informações sobre o paradeiro do “Turco”

O agente do FBI James Ellison (Richard T. Jones) investiga o passado de Sarah (Lena Headey) e encontra o Dr. Silverman, responsável por cuidar dela enquanto estava internada em um hospício. John (Thomas Dekker) encontra gravações da época em que Sarah estava internada, e vê o que ela fez para sair de lá.

John fica chocado ao ver as gravações, além de se sentir excluído da vida da mãe. Sarah sempre procurou proteger e preparar John para seu futuro em que deve ser o líder da resistência contra as maquinas, entretanto, Sarah acaba sendo mais uma tutora do que uma mãe, deixando um vazio na vida de John.

terça-feira, 30 de junho de 2009

“Damages” – 1x02: ‘Jesus, Mary And Joe Cocker’


No episódio anterior (1x01 – “Pilot”), David (Noah Bean) pediu Ellen (Rose Byrne) em casamento, uma cena desnecessária, se não fosse pelo fato de estabelecer uma conexão com o flashforward do assassinato de um personagem. Em “Jesus, Mary And Joe Cocker”, presenciamos um aparador de livros sendo entregue de presente a Ellen, uma cena aparentemente desnecessária, mas que estabelece uma nova conexão e uma nova pergunta sobre o futuro dos personagens.

No segundo episódio de Damages, Arthur Frobisher (Ted Danson) corrompe um dos ex-funcionários que buscam a indenização para que aceite um acordo de 100 milhões de dólares, algo inviável para Patty (Glen Close), pois está convicta de que Arthur deverá pagar mais que isso.

Arthur manipula emocionalmente Katie, e Patty também a manipula, pois sabe que ela esconde segredos sobre o fim de semana que trabalhou como cozinheira de Arthur, um desses segredos que já vieram à tona é sobre o relacionamento que Katie teve com Gregory Malina (Peter Facinelli), um homem que está envolvido até o pescoço com as tramas de Arthur.

Ok é um pouco difícil de explicar, mas tudo fará sentido, já que tudo está se encaixando, os motivos de Patty ter contratado Ellen, o que Katie sabe e o que Gregory esconde, mas principalmente, o que aconteceu para que um personagem seja assassinado no futuro. Essa é a beleza dos flashforwards, o que não importa é o desfecho da história, e sim o que levou a esse desfecho.

domingo, 28 de junho de 2009

“Smallville” – 8ª temporada comentada


Smallville é uma das series que julgo que já deu o que tinha que dar, ou seja, já deveria ter acabado e o único motivo para isto não ter acontecido é porque a Warner quer mais dinheiro nos bolsos. Com o passar dos anos, a série foi evoluindo e se tornou um tanto incomoda, em sua 8ª temporada, este incomodo passou a ser divertido, já que não via uma temporada tão razoável em anos.

O 8º ano da série gira em torno de Clark (Tom Welling) aceitar seu destino como salvador da humanidade, e que para isso precisa tomar escolhas difíceis.

A trama principal foi boa, tinha tudo para ser uma temporada fantástica, só que é do Superman que estamos falando. O publico convive com personagens antiéticos (porem carismáticos) e isso torna esses personagens mais humanos, fazendo com que o publico se identifique e se emocione com o personagem. No caso de Clark, devido a ele seguir códigos de ética e moral, ser ingênuo e inocente muitas vezes, vai contra o que acabei de dizer, ou seja, não construímos a imagem de que ele é humano e que poderíamos estar na pele dele.

Para suprir a falta de humanização de Clark, fomos abençoados com o carisma de Chloe (Allison Mack), que se torna mais independente, saindo da sombra de Clark, tomando suas próprias atitudes. Outro personagem que vale a pena de se analisar é Davis (Sam Witwer), ele procura ao maximo escapar do seu próprio instinto, mas não consegue pois devido a suas fraquezas emocionais é facilmente controlado e usado.

Em breve a 9ª temporada estréia (dia 25 de setembro nos Estados Unidos) e espero que não seja apenas uma temporada razoável, e sim fantástica.